Voando pelo céu azul

Clique aqui e escolha a sua no Site TonyGifsJavas.com.br
Acabei de nascer, estou com muito medo, olho pra cima vejo todo azul, e olho pra baixo vejo tudo verde. Estou sentindo tanto fome e frio, mas minha mãe logo me cobre com o calor seu peito fazendo que o frio vá embora, e sacia a minha fome, colocando comida com o seu bico dentro do meu. Como minha mãe é linda, e meu pai também, minha mãe cuida de mim com tanto amor, e o meu pai me protege de todo o perigo e mal.
Entretanto pela obra do acaso, ou por um pequeno descuido de meus pais, eu não sei; alguém invade o meu ninho e me tira da companhia de meus pais, que eu tanto amo, aonde deixei pra traz o azul do céu e o verde da montanha.
Colocam-me em uma gaiola, carregando-me não sei pra onde, e pra que lugar. Eu ao ver-me rodeado de grandes, em toda a minha volta, me sinto muito inseguro, frágil, desprotegido e prisioneiro. Sou tão pequenino, meu corpo sente tanto frio, sinto tanta falta do calor do peito da minha mãe, cobrindo e aquecendo o meu, que ainda, penas não tem. Estou sentindo tanta fome e sebe, que saudade do alimento orgânico, físico e harmonioso, que minha mãe me dá.
Chegando ao destino, me trocam de gaiola, e me colocam dentro de um carro, me levando não sei para onde. Tem alguém do meu lado que parece gostar de mim, pois quer fazer alguma coisa para eu parar de sofrer, mas não consegue, porque fisicamente, é tão diferente de mim, mas sinto que tem muito amor pra me doar, mesmo não sendo igual a minha mãe, eu gostei dela.
Estou num mundo tontamente diferente do que eu vi, quando eu nasci. O meu mundo é muito mais bonito, harmonioso e aconchegante. Só que estas pessoas apesar de me manter prisioneiro, fazem de tudo para me sentir bem, e feliz, mas não conseguem, porque, eu sou o que sou, um pássaro feito pelo sentimento de amor, e como tal, preciso do aconchego e proteção dos meus pais. Eles não entendem que eu nasci para ser livre dentro das leis do meu mundo. Que preciso da companhia dos meus familiares, preciso voar entre as arvores, pelo céu azul, olhando para o verde das montanhas gritando bem alto pra dizer a Deus o quanto eu sou Feliz.
Meus donos fazem uma caixinha de madeira, muito bonitinha e acolhedora, parecendo um ninho, para amenizar o frio, que estou sentindo no meu peito, no meu corpinho todo, e por ser ainda tão pequeninho, a ausência da presença do calor do amor da minha mãe, é tanta que chega meu corpinho dói.
A noite, se tona tão fria e escura. Minha dona coloca comidinha quentinha dentro do meu bico, com muito cuidado e carinho, cobre a caixinha com um cobertor, com muito amor, me trata como se eu fosse filho dela, e ela minha mãe. Só que eu não consigo esquecer, do calor do peito de minha verdadeira mãe, cobrindo-me, protegendo-me do frio e de todo o que pudesse me ferir, da comidinha que ela traz com tanto amor a colocando com seu bico dentro do meu, ela esta me fazendo tanta falta.
Por eu ser pequeninho e troncudinho, meus donos me chamam de toquinho.
O tempo vai passando, e eu crescendo, com isto, meus donos me tiram da caixinha e me colocam num poleiro, mas com medo de que eu bata asas e voe, para não mais voltar, prendem uma das minhas patinhas com uma corrente. Eu bem que tento, mas não consigo compreender porque eles estão fazendo isto comigo.
A verdade é que eu sou um pássaro que vivo e me alimento do sentimento de amor, meu coração é sensível, delicado, e muito sentimental, por sou muito ciumento inseguro e frágil, por qualquer coisa , meu coração quebra, fico magoado, reajo com raiva. Muitas vezes bico meus donos, não os bico por mal, mas que me fazer entender, e me defender do que estou sentindo. E até que falo uma, ou outra palavra bem claramente, mas eles não entendem, nem tem muita certeza se o que eu digo é o que estou sentindo, ou apenas imitando as suas vozes. A verdade é que eu realmente falo o que sinto, e quando não consigo me expressar com a fala humana eu grito até chamar atenção deles. Eu sou um pássaro inteligente, porque tenho amor, é o amor que me dá o dom do entendimento, da compreensão, de falar e demonstrar o que estou sentindo.
Não me chamem de tolo, porque acho como fosse uma criança humana de cinco aninhos. Sim sou um papagaio, não tenho raciocino, sou irracional, mas fui feito por Deus, assim como os humanos foram. Por isso assim como eles sou feito do puro amor, tenho sentimento como eles têm. Só que eu não sei a diferença do certo e do errado do bem e do mal. Eu uso apenas o sentimento do amor, não maiôs do que isso. Já eles usam a muito mais a razão do que o sentimento do amor, eles colocam as coisas deste mundo em primeiro lugar e o sentimento do amor em segundo plano. É por esta razão que eu estou sofrendo tanto.
Minha dona sente o que eu estou sentindo, sente a minha dor, por esta razão eu gosto muito dela, e sinto que ela também gosta de mim, mas não consegue me amar conforme eu preciso ser amado, como a minha mãe me ama, por é muito mais forte que ela. Porque de pertencermos a famílias diferentes. Ela sente que eu preciso ser livre pra ser feliz, voar pelo céu azul e pelo verde da floresta, só que ela não quer me perder, nem que eu continue preso a correntes, então ela me coloca numa gaiola com espaço para eu andar pra lá e pra cá. Eu sinto o quanto eles me querem bem, mas ao ver outras aves voando pelo céu azul me dá uma tristeza tão grande e eu não poder bater minhas asas e ir até eles voando também.
Agora um pouquinho mais velho, meus donos compram uma gaiola nova, colocam brinquedos nela para eu brincar, e cortam a ponta de minhas asas me deixando solto e mais livre, pois posso andar pelo chão, subir na gaiola e descer quantas vezes eu quiser, me sinto mais feliz agora, mas não o suficiente pra minha necessidade, quando eu vejo o nascer do sol, me dá vontade de voar até ele, e nesta hora eu grito tanto que minha dona me cobre para eu não ver a sua luz tão forte. Mesmo depois de tantos anos eu sinto ainda muito mais forte a ausência de meus pais da minha família.
Certo dia, meus donos me levam até outra casa, qual foi a minha alegria ao ver outro papagaio igualzinho a mim. Aqui eu tive a certeza que estava onde estou não é o meu mundo, mas fiquei muito feliz por ver alguém igualzinho a mim, mas muito triste por não estar no meu verdadeiro mundo.
Meus donos vão embora e me deixam aqui nesta casa por um bom tempo, isto me traz uma dor de abandono, e rejeição. A moça desta casa me trata com muito carinho e afeto, mas eu sinto falta da minha verdadeira dona.
Dias se passam, e meus donos aparassem, eu ao vê-los fico muito emocionado e muito feliz, em voltar pra casa, pois apresar da minha dor, eles são a família que eu tenho e conheço. Neste meio tempo anos se passam e eu a cada dia passa fico ansioso pela minha liberdade.
De tempos e tempos meus donos me deixam na casa da moça que tem um pássaro igual a mim, e saem, penso que vão viajar, e não podem me levar com eles, o porquê eu não sei. Ao ver meu amiguinho de asas fico ainda muito mais ansioso pela minha liberdade, de voar, voar até meus pais encontrar. Por conta da minha vontade de noite eu fico sonhando que estou voando pelo céu azul, e enquanto sonho, eu fico batendo minhas asas com muita força, dentro da gaiola. Até que acordo e vejo que tudo não passa de um lindo sonho.
Estou com treze anos agora, e não agüento mais, preciso partir, minha dona sente o que eu estou sentindo, por esta razão ela não me tranca mais dentro da gaiola. Mesmo de asas cortadas eu consegui voar alguns metros até ao muro. Aonde meu dono com receio que eu fugisse me pegou. Da outra vez eu teimei e voei novamente, mas cai na piscina, meu dono correu, me tirou de dentro dela, evitando que eu morresse afogado. Mais uma vez eu dei um meu voou e novamente cai na piscina, esta estava cheia ate a borda e eu abri minhas asas e consegui chegar até ao outro lado onde minha dona pegou colo.
Eu sou muito teimoso e como tal decidi voar para nunca mais volta, eu amo meus donos, mas eu preciso ir embora, preciso ser livre dentro dos limites do mundo da minha natureza. Com muita determinação no que eu queria fazer eu batei minhas asas e voei, mas minhas asas não agüentaram não fui muito longe, cai do outro lado de muro, aonde dois cachorros me pegaram, e eu morri.
Agora sou livre, não da forma que eu pensei, mas livre e muito feliz, pois estou junto do meu Pai, que me criou.
Hoje me transformei no que sempre fui, puro sentimento de amor. Estou voando pelo verde das montanhas, e pelo céu azul, fazendo parte da natureza como sempre fui.
Minha dona não sofreu mais do que o normal, porque ela sempre soube dentro de seu coração que eu um dia iria partir. Só que ela não contava que fosses desta forma.
Ela sente que eu sou livre e estou muito feliz, porque eu sou apenas amor, sem dor sem sofrimento.
Toda a vez que ela olhar para o verde da natureza, e para o azul do céu, ela me verá, e me sentirá, sempre que a brisa do vento acariciar seu rosto, pois sou lhe fazendo um carinho, lhe agradecendo por todo o amor que ela me doou gratuitamente.
Eu sou Amor.







Clique aqui e escolha a sua no Site TonyGifsJavas.com.br

Comentários

  1. Oi,amada de Deus! vim, te oferecer um cartão de agradecimento por ter deixado sua marquinha no dia do meu aniversário. Tem um cartão e tb deixei uma mensagem.
    Você é uma benção! com o meu carinho-san

    ResponderExcluir
  2. Oi Maria Alice!
    Que texto lindo! Eu que tenho a maior dó dos animais, chorei. Noooossa depois deste texto quem tira estes inocentes da natureza pensariam duas vezes. É muuuito triste mesmo para eles. Coitados!

    Grande beijo!

    ResponderExcluir
  3. Olá
    Maria Alice, obrigada, amei seu comentário.
    A natureza tem sempre a naturalidade a seu favor, só precisamos deixa-la totalmente livre, ela tem o tempo certo.

    Com carinho BJS.

    ResponderExcluir
  4. Lindo e emocionante conto, expressando o depoimento daquele que nasceu para ser livre.
    Parabéns!.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  5. Muito lindo seu texto, carregado de emoção e sentimentos de amor pelos pássaros... sinto por aqueles que caçam e aprisionam os pobrezinhos que deveriam viver livres em seu habit natural...

    Muito bom vir aqui, um espaço especial de paz... e harmonia...

    Amiga querida, é sempre difícil postar no seu blog, acho que as imagens que são maravilhosas, acabam deixando o blog mais pesado na hora de abrir e trava, acho que é porque minha banda da internet e média... Mas não desisto e tenho conseguido entrar...rsrs

    Beijos no coração, obrigada pelo carinho e fica com Deus.

    Su.

    ResponderExcluir
  6. Arrancado do seu ninho, e as vezes ser vendidido é o que acontece sem do mem piedade... Muito lindo falar sobre a natureza. Beijos

    ResponderExcluir
  7. Querida Maria Alice

    Todo o ser vivo deveria ser livre e seguir a sua própria natureza.E assim a vida seguiria o seu curso...como o rio corre para o mar.

    Beijo

    Olinda

    ResponderExcluir
  8. que lindo texto, isso sempre me comove. As imagens são espetaculares, extrema liberdade. Você tem razão, muito triste a realidade, fala-se de um bichinho, mas pode ser também a vida humana, pensei em uma criança sendo roubada dos seus pais. Belo demais querida, parabéns!

    Beijocas.

    ResponderExcluir
  9. Comovente texto, querida amiga e grande poetisa Alice.
    Imagens de ternura e encantamento, fazem um belíssimo casamento com o poema.
    A liberdade é um dom da natureza. Toda a vida chegada a idade tem o direito de "voar", " voa" pelos seus próprios meios.
    Furtar a liberdade a qualquer ser vivente é um crime.
    Adorei a ternura do texto.
    Parabéns querida. Para comentar vi-me grega. Oxalá consiga deixar este comentário.
    Vim buscar o selinho. Estou com dificuldade em abrir, os seus blogs. Vamos lá ver.
    Bjito amigo e uma flor.

    ResponderExcluir
  10. Olá, amada de Deus!
    Vim, te oferecer 2 selinhos:ESSE BLOG VALE OURO e o selinho UM TOQUE DE SENSIBILIDADE
    com o meu carinho-san

    ResponderExcluir
  11. Amo papagaios e a algazarra que fazem. Um abraço, Yayá.

    ResponderExcluir
  12. É sempre muito bom passar por aqui! tenha uma ótima tarde, beijos

    ResponderExcluir
  13. Minha querida. Texto emocionante e lindas fotos. É triste, mas acontece. Obrigada pelo selinho. Estará postado em Mimos 2011. Beijos.

    ResponderExcluir
  14. Lindissimo conto.
    Bom fim de semana
    beijinhos
    Maria

    ResponderExcluir
  15. Querida Maria Alice,
    Adorei sua postagem. Seu texto tão lindo e comovente, deixaram-me com lágrimas nos olhos.
    Veja que os animais são como nós, também partem, quando morrem, para um lugar muito especial e destinado a
    eles. Belo texto. Parabéns pela escolha do tema.
    Um ótimo final de semana e um grande beijo para você.
    Maria Paraguassu.

    ResponderExcluir
  16. Simplesmente maravilhoso.Adorei passar aqui! Que teu fds seja lindo como esses pássaros e palavras! beijos,chica

    ResponderExcluir
  17. Que ânsia pela vida...


    Amei as cacatuas...tenho 2 aff lindas....


    bjs

    ResponderExcluir
  18. Hola Maria Alice, que bonitas imagenes.
    Un afectuoso saludo para ti, gracias por la visita y buen fin de semana.

    ResponderExcluir
  19. Olá Maria Alice
    Obrigada pelo carinho,já peguei o selinho e coloquei em lugar de destaque .
    Amei o texto você escreve maravilhosamente.
    Ótimo fds pra você
    Beijo Carinhoso
    Rose

    ResponderExcluir
  20. Qué triste!
    Deberíamos pensar moitas veces antes de actuar.
    un texto fermoso e unhas imaxes maravillosas.
    Cuidando aos demáis tamén cuidamos de nos.
    un abrazo cariñoso e boa fin de semana.
    un bico dende o meu ceo azul.

    ResponderExcluir
  21. Maria Alice..

    Me emocionou seu post.
    Em pensar que ditos "seres humanos" são capazes de enclausurar e matar estes seres inocentes e indefesos.

    Um bj

    Ma

    ResponderExcluir
  22. Maria Alice
    Welcome tomy blog an many thanks for so kind words!!!
    Your blog is ful of wonderful photos and very nice words!!!
    Best regards from Greece

    ResponderExcluir
  23. Querida Maria Alice..obrigada pelo selinho..ja o levei ao meu blog.
    bj
    MA

    ResponderExcluir
  24. Se todo animal inspira ternura, o que houve então com os homens?

    O texto nos faz refletir.

    Grande abraço, e ótimo fim de semana,

    Nina

    ResponderExcluir
  25. Maria Alice querida!
    Seu texto é real...Vejo isso acontecendo por aqui, temos que estar vigilantes para que nâo careguem os filhotes ao nascer.
    É difícil conscientizar um povo.
    Obrigada pelo carinho! Estou feliz por segui-la e ter sua amizade.
    Grande abraço e um abençoado final de semana

    ResponderExcluir
  26. Que texto tocante...
    Um excelente fim de semana
    beijinho

    ResponderExcluir
  27. Oi Maria Alice, sua sensibilidade relatando fatos cotidianos e par muitos "racionais"... normais (!) aflora nossa cumplicidade com a Mãe Natureza! Parabéns! Célia.
    http://celiarangel.blogspot.com

    ResponderExcluir
  28. Oi querida,
    Obrigada pelas dicas.
    Tem selinho para vc no meu blog.
    Bjs :)

    ResponderExcluir
  29. Oi querida,
    Obrigada pelas dicas.
    Tem selinho para vc no meu blog.
    Bjs :)

    ResponderExcluir
  30. Passando para deixar um grande abraço em você e desejar um ótimo inicio de semana.

    Beijocas.

    ResponderExcluir
  31. Oi Maria Cecília!
    Quanta beleza e sensibilidade nesta estória!
    Tudo o que diz respeito aos animais e a natureza em geral tem sempre um toque de sabedoria, que você soube mostrar com muita leveza.
    Obrigada pelo carinho de sua presença.
    Que sua semana seja de muita paz e alegria.
    um grande abraço com carinho

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Muito obrigado pela sua visita ao mundo mágico do coração!
Seja sempre muito bem vindo!
Volte sempre...
Abraço fraterno
Maria Alice