O inverso



O que aconteceu com o nosso mundo e com nossa humanidade?
Num tempo atrás não muito distante dos dias de hoje, tudo era tão diferente. Eu me recordo com muita clareza do tempo em que o esposo saia para trabalhar, enquanto a esposa ficava em casa cuidando da mesma e de seus filhos, que passavam o tempo brincando junto á natureza e ajudando a mãe deles, esperando ansiosos pelo regresso do pai ao lar.
De volta a casa, o esposo se senta a mesa com a esposa e os filhos para comerem o pouco que tem, mas para eles é um grande manjar, porque estão todos juntos, compartilhando um momento de paz, alegria e amor.
Se acaso algum dos filhos faz algo que desagrada ao pai, este apenas o olha, e na transparência de seu olhar, o filho sabe o que seu pai deseja dele e o faz imediatamente, com muita obediência.
São estes momentos especiais, que formam pessoas especiais capazes de transformar o mundo num Bem Maior.

Hoje em dia tudo é tão diferente, a maioria das esposas trabalham fora do lar, para ajudar seus esposos no sustento familiar, enquanto seus filhos ficam em casa sendo cuidados por babas, quando não sozinhos, em frente do computador.
 Em muitas situações são as esposas que vão à busca de mais conforto para sua família, enquanto o marido fica em casa, o que deveria ser o inverso, mas vai entender o sistema do mundo atual.
O pai e a mãe estão tão envolvidos com o trabalho, que não tem mais tempo para eles mesmos e muito menos para seus filhos, com isto não conseguem compartilhar momentos especiais em família, como tomar café da manha, almoço e jantar juntos, e quando todos estão em casa, cada um come aonde deseja e não á mesa em família. Assim se tornam verdadeiros estranhos uns para com os outros, aonde pais não conhecem seus filhos e seus filhos seus pais, com isso os valores do mundo não deixam o verdadeiro Amor fluir.
O mundo de hoje está tornando a mulher mais racional e mecânica, e o homem delicado e sensível, ferindo o seu lado emocional, o qual não sabe mais quem ele é, um ser divino dentro de um corpo humano, masculino ou feminino.

Com tudo isso, quem mais sofrem são os filhos, que sentem que há algo de errado, que precisam fazer algo para poderem se descobrir na imagem de seus pais, mas ficam sem saber como agir diante da modernização do mundo, e com isso se sentem fracos diante do mundo moderno.
A mulher está crescendo tanto profissionalmente que está dividindo o espaço de trabalho com o homem, quando não, toma o lugar dele.
Eu particularmente concordo que a mulher tenha os seus direitos como um ser humano, na família e no trabalho. Eu concordo que a mulher trabalhe fora do lar para ajudar seu esposo no sustento e no conforto do lar, enquanto for necessário, mas sou contra a uma competição trabalhista aonde os valores familiares e morais se perdem.
 Eu não condeno as mulheres que tem uma profissão e que trabalham fora do lar, mas sou totalmente contra ao sistema, que hoje não valoriza a mulher que é esposa mãe e que cuida do seu lar. Para o sistema, esta mulher não tem valor algum, pois a atualização do mundo se esquece que é esta simples mulher que tem o poder e o segredo, de transformar o mundo, o tornando mais justo e harmonioso através dos seus filhos.
 Eu acredito que a mulher deviria estar presente no lar e na vida de seus filhos até eles já terem maturidade para caminhar com seus próprios pés, e estrutura suficiente para ir á luta, com discernimento para saber o que é bom para sua vida, e para tornar um mundo mais justo.

A valorização do ser humano cresce dentro do seio familiar junto ao universo.  Mas para isso, cada ser, homem e mulher, esposo e esposa, pai e mãe, precisam cultivar e fazer crescer os valores familiares, aonde o respeito mutuo se faz prevalecer entre eles, e seus filhos fazendo assim fortalecer o amor familiar.

Quando homem e mulher, como pai e mãe, começam a se desrespeitar, o amor da família é ferido e com isso seus filhos ficam perdidos entre eles e buscam caminhar em outra direção, por caminhos tortuosos, que os afasta cada vez mais do verdadeiro amor, vindo a se tornar, pessoas inseguras, revoltadas e até mesmo maldosas e sem escrúpulos,  ficando cada vez mais longe dos valores, que tornam um ser humano bom e feliz.
Precisamos acreditar que quem não aprende a amar incondicionalmente, nunca saberá, e muito menos se sentirá verdadeiramente amado. Pois é amando, que se sente amado, e não se sentir amado, para depois amar.
Muitas vezes, para conhecer o amor é preciso sentir a dor da saudade, da rejeição, da solidão, da perda e muito mais. Pois é na dor que realmente a gente reconhece o verdadeiro amor.  Seremos sempre aceitos e tratados no mundo, conforme tratamos os nossos semelhantes. Quem pratica o mal, precisa passar por algum tipo de sofrimento para apreender a reconhecer o bem, e quem pratica o bem, receberá o bem em dobro.
Não estou falando do material, mas sim do espiritual, afinal nos somos espírito dentro de um corpo humano, e não um humano procurando a felicidade dentro de um espírito. O que vem da terra na terra ficará, mas o que vem do espírito ao céu se elevará.  



Comentários

  1. Seja bem vinda ao novo espaço de educadores.
    Sua presença muito nos alegra.
    Abraços,
    Equipe de educadores.
    http://redeeducacaoemfoco.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Oi! Sou a Formiguinha.:)

    Obrigada pela visita e comentário na minha Casinha, adorei.

    Voltem sempre porque são muito bem vindos.

    Gostei do vosso cantinho e por isso seguidora fiquei.

    Como eu gostaria de ficar em casa cuidando do meu filho e lar. Mas infelizmente as dificuldades da vida não permitem e por isso tenho que trabalhar fora, tal como meu marido.
    Mas penso como vocês só que na práctica não dá.):

    Boa semana!
    Beijinhos da Formiguinha

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Muito obrigado pela sua visita ao mundo mágico do coração!
Seja sempre muito bem vindo!
Volte sempre...
Abraço fraterno
Maria Alice