Meu filho, tu nuca me pertencestes, porque sempre foste de Deus.




Meu filho, eu descobri que tu estavas comigo depois de dois meses de gestação.
Eu sentia que eras muito especial, mas não sabia o quanto.
Tu querias me dizer algo, mas eu não te compreendia.
Tu me chutavas com tanta força no meu ventre que sentia dor do lado de fora de minha barriga.
Ao tu nasceres senti tristeza em vez de alegria, porque meu coração sentia que tu não me pertencias, mas sim a Deus, só que o meu eu, não o sabia.

Já em casa, do meu lado tu querias ficar, e nada me deixavas fazer, a não ser cuidar de ti.
De dia te carregava no meu colo todo o tempo, e a noite em vez de dormires no teu berço, tu dormias comigo, pelas razões de teu pequenino coração, tu não querias te afastar de mim nem por um segundo.
Tu estranhavas tanto que não querias ir para o colo de ninguém, nem mesmo para o de sua avó, que veio de tão longe para ser tua magrinha de batismo.
No dia de teu batizado tu choraste tanto, com tanto desespero que me deixastes com o coração na mão.
Tu não parecias um neném de um ano e três meses, mas sim um adulto.
Tinhas a personalidade muito forte e também muito sentimental.
Certa vez fomos todos passear, mas ao teu pai dar a volta com o carro a porta abriu e eu contigo em meus braços caímos na pista, deslizamos pela rua  a fora, aonde vinham carros em nossa direção. Sem saber o que estava fazendo eu te segurei firme em meu colo, me levantei do chão tão depressa quanto pode e corri em direção do carro deixando um chinelo para traz.
Tu choravas tão, mas tanto que nada te fazia calar, tu estavas com medo que eu estivesse ferida. Eu ao ver que tu nada tinhas sofrido te aconcheguei no meu colo e te dei o meu peito, assim que tu sentiste que estava tudo bem comigo paraste de chorar, e eu pode sentir teu pequenino coração se aquietar.
Tu és um bebe tão inteligente que tua avó materna começa a dizer que tu não és deste mundo, deixando eu e teu pai muito tristes.
Dias mais a frente tu ficastes dentinho nos deixando muito preocupados.
Levamos-te ao medico e cuidamos de ti com todo o amor que tínhamos para te doar.
Teu irmão te ama tanto que cuida de ti com todo o amor seu coração, te protegendo de tudo para que não te ferisses.
Um dia ele se deixou apanhar de ti, só para não te ver doente de novo, mas não adiantou.
No dia seguinte, tu amanheceste com muita febre e muito molinho deixando nosso coração apertadinho, diante da tua fragilidade, então eu e teu pai te levamos para o hospital, e enquanto esperamos ser atendidos, começou a chover e tu olhaste para a chuva e começastes a chorar e apontar para ela, querendo-me dizer que estavas com cede, então eu pedi um copinho de água e te dei, e tu a bebes com tanta satisfação que meu coração sentiu que era ultima água que tinhas bebido, mas o meu querer não queria aceitar. Em seguida fomos atendidos e logo te encaminharam para a internação, tu estavas muito pior do que eu pensava.
Eu te acompanhei ate lá, aonde a enfermeira te levou para te dar um banhinho, aqui eu voltei a sentir que estavas tomando o teu ultimo banho, o que deixou meu coração tão apertadinho que parecia que ia sair de dentro do meu peito.
 Tu choravas tanto, que eu queria te aconchegar no meu coração, mas não me deixaram. Já na caminha te deram a madeira, e eu pensei que tu a rejeitasses, pois como sempre o fizestes, mas não, tu a aceitaste e a tomastes com tanta vontade que mais uma vez eu senti que foi a ultima vez que te alimentastes. Segundos depois, começastes a tremer e a revirar os olhos, estavas tendo conversões. Tu mexias com teus bracinhos e perninhas com tanta força que te amarraram na cama.
Nesta hora eu me lembrei de Nossa Senhora ao ver seu filho Jesus Cristo ao ser crucificado na cruz, impedida de doar o que ela tem de maior valor, o seu Amor Maternal.
Eu não sou Maria a Mãe de Jesus e nossa, mas sou a mãe de meu pequenino filhinho que está prestes a sair de minha vida pela vontade de Deus, para me, nos resgatar do pecado que estamos. Eu não sei quando ferimos a Deus, mas sei que não temos agido segundo a Sua vontade. 
A tua vinda a este mundo, meu filho amado, foi para nos chamar para junto do amor de Deus. Mas nossos olhos ainda estão tão tampados e envolvidos pela dor da morte que não conseguimos distinguir nada de nada, e fazer o que tem que ser feito.
Eu queria te pegar no colo, te confortar e não me deixaram, meu coração ficou tão apertadinho que parece que vai sair de dentro do meu peito. Mas minha cabeça não quer aceitar o que meu coração está sentindo, fazendo com que eu entre em conflito interior.
Depois de lutar pela tua vida  meu filho, por tudo quanto é lugar, eu e teu pai fomos á igreja aonde nos casamos e ajoelhados intercedemos a Deus pela tua vida, e quando eu estava quase conseguindo a graça de sua vida, senti me darem um beliscão  na minha perna, tão forte aponto de sair da igreja mancando, mas ninguém estava a traz de mim.
Nesta hora eu tive a certeza que tu meu filho não eras mais meu, mas sim de Deus como sempre o fostes desde o dia que viestes a este mundo através do meu ser.
Horas mais tarde fomos ao hospital e lá soubemos que tu já tinhas subido para junto do teu e meu Pai, para minha aflição.
Na hora de te vestir para teu funeral, me coragem me abandonou, e ao te ver deitado naquela maca de enfermagem, senti um cala frio na minha coluna, onde senti que embora na casa do nosso Pai, tu estavas comigo e teu pai, que tu nunca ias nos deixar sozinho, porque és uma gota do Amor de Deus morando no nosso coração desta tua família terrena, eu teu pai e teu irmão.
Filho meu nós te amos muito, e obrigado por teres doado tua vida por nós, por nos resgatares do mal e nos levares para junto do nosso Pai, sem mesmo sairmos da nossa vida terrena.
Obrigado por teu eterno amor filial.
Obrigada meu filho de Deus!
Tu és uma estrela brilhando no céu, e a gotinha do Amor de Deus, morando dentro do nosso coração.



Comentários

  1. Boa tarde,retribuindo a visita,o seu blog é lindo,estou te seguindo,te ofereço o selo para seguidores,o selo de amizade,pode ir buscar.Te desejo uma linda semana,bjo.

    ResponderExcluir
  2. ADOREI VIR AQUI LER ESSAS LINDAS HISTÓRIAS EMOCIONANTES GOSTEI MUITO!!!

    ResponderExcluir
  3. Emocionante história de amor!
    Deixo aqui o meu abraço solidário!

    ResponderExcluir
  4. Emocionante e dorido texto de amor de mãe.
    Um abraço solidário de outra mãe.
    Adorei conhecer o seu blog.
    Cheguei ao seu blog por um amigo.
    Bjito e uma flor

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Muito obrigado pela sua visita ao mundo mágico do coração!
Seja sempre muito bem vindo!
Volte sempre...
Abraço fraterno
Maria Alice